Impasse no palanque da Bahia travou acordo do PT com União Brasil: entenda
Ex-ministro Jacques Wagner e o ex-presidente Lula — Foto: Manu Dias/GovBA e Reprodução/TV Globo

Por Andréia Sadim (*)


Setores do PT que defendiam o acordo com o União Brasil ainda no primeiro turno estão irritados com a insistência do petista Jaques Wagner de não ceder na principal demanda da ala do antigo DEM no partido: retirar a candidatura do PT na Bahia, onde ACM Neto é candidato.

Fontes do comitê de Lula e também do União Brasil confirmam que as conversas estavam adiantadas entre os partidos – mas travou exatamente no impasse do palanque da Bahia.

Neto, que é um dos principais líderes do partido, deixou claro em conversas com interlocutores de Lula que a negociação só iria para frente se a questão da Bahia fosse resolvida.

Mas, para isso, o PT precisava do aval de Jaques Wagner – que não topou.

Nos bastidores, uma ala do comitê Lula-Alckmin vê a estratégia como um “desastre” e afirma que o apoio de um partido como União Brasil ainda no 1º turno, especialmente por conta do fundo partidário bilionário, poderia facilitar a eleição de primeiro turno que Lula tanto quer.


Agora, afirmam, só se Ciro Gomes (PDT) saísse da disputa – o que ninguém acredita que acontecerá, pelo menos até a última atualização do blog.

Transcrito do G1. Clique aqui para ler no original

 

 

Deixe seu comentário